Mágico Momento

domingo, 29 de janeiro de 2012

Varicocele: uma doença silenciosa e perigosa no homem.(artigo extraido do site da clinica de reprodução assistida vidabemvinda.com.br)

uma doença silenciosa e perigosa no homem
Autor: Dr. Conrado Alvarenga
Toda vez que um casal não consegue engravidar, a mulher, na maioria das vezes, procura seu ginecologista. No entanto, como já dissemos antes, o homem também pode apresentar problemas em até metade dos casais. Dentre os problemas mais frequentes, a varicocele, sem dúvida, é o mais importante. A varicocele é a dilatação das veias do testículo. O processo é semelhante ao que acontece nas varizes de outros locais do corpo: há uma insuficiência das veias de drenagem dos testículos que leva a um represamento sanguíneo e a uma dilatação venosa. Como já mencionamos, a varicocele é a principal causa de infertilidade nos homens.
Preciso pensar em varicocele?
Estima-se que no mundo inteiro, ela ocorra em cerca de 20% dos homens. Em casais com problemas para engravidar, esta proporção pode aumentar para 35%. Muitas vezes, o diagnóstico precoce é importante, pois seu aparecimento se dá entre os 14 e 15 anos de idade. Outros sintomas que a varicocele também pode causar são dor e diminuição do tamanho testicular.
A varicocele é encontrada predominantemente no lado esquerdo, algumas vezes nos dois lados e, raramente, apenas no lado direito. Atualmente, com o uso de métodos como o ultrassom, fazemos mais diagnósticos de varicocele bilateral.Mas porque a Varicocele pode levar a infertilidade?
A explicação é interessante. Os testículos estão situados fora do corpo (no escroto) por um motivo: a temperatura adequada para produção dos espermatozóides deve ser de aproximadamente 1,5 a 2,0ºC mais baixa que a temperatura do nosso corpo. Quando há varicocele, o sangue fica represado ao redor dos testículos, aumentando a temperatura testicular e prejudicando o processo de formação de espermatozóides. Além disso, este sangue represado leva a um aumento de algumas substâncias tóxicas, como os radicais livres de oxigênio. A consequência é uma diminuição da produção, da movimentação e do funcionamento dos espermatozóides.
Como posso saber se tenho Varicocele?
Na maioria dos casos, a varicocele é assintomática. Portanto, ela pode prejudicar a função dos testículos sem dar nenhum sintoma! A medida mais importante para o diagnóstico é o exame físico realizado por um urologista. Quando suspeitamos da presença de varicocele, podemos confirmá-la com um ultrassom dos testículos.
E quando a varicocele precisa ser tratada?
Durante e investigação de um homem portador de varicocele, é fundamental que sejam realizados no mínimo dois exames de espermograma, para avaliar a quantidade e qualidade dos espermatozóides produzidos. Nestes casos, é muito comum encontrarmos alterações, principalmente se este homem está tentando ter um filho e não consegue. Nesta situação, dependendo da avaliação conjunta que é feita na mulher, o tratamento é importante já que os efeitos nocivos da varicocele são progressivos. Cerca de 40 a 70% dos homens apresentam melhora do espermograma após o tratamento.
Assim, a mensagem é: aqueles que têm varicocele diagnosticada no exame físico, infertilidade e alteração de espermograma podem ter indicação de tratamento cirúrgico. Outras indicações são: dor ou diminuição do tamanho do testículo.
Como é o tratamento da varicocele?
Hoje em dia, a cirurgia que realizamos com mais frequência é feita na região da virilha e com o auxílio de um microscópio, já que as veias dilatadas são muito finas para serem vistas a olho nu. Esta técnica apresenta também melhores resultados. A cirurgia dura aproximadamente 45 minutos de cada lado e o paciente pode ter alta do hospital no mesmo dia. A cirurgia laparoscópica é outra opção, mas muito menos usada em nosso meio. A embolização da varicocele é um processo menos invasivo, feita de modo semelhante a um cateterismo. No entanto, ainda apresenta resultado inferior à cirurgia microscópica.
Após 3 a 6 meses o homem deverá repetir o espermograma para avaliar o resultado. Vale então a dica: fique atento a esta silenciosa, mas importante doença para a fertilidade do homem!
O AUTOR Dr. Conrado Alvarenga é médico formado pela Universidade de São Paulo (USP) com residência em Urologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de SP (HC). Atualmente é médico da Clínica de Reprodução Humana Vida Bem Vinda, responsável pela andrologia e Infertilidade Masculina; e Médico Colaborador do Hospital das Clínicas de São Paulo, atuando neste serviço junto ao Centro de Reprodução Humana Mário Covas. Possui o titulo de membro efetivo da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Faz parte da equipe de Check-Up Masculino do Grupo Fleury, em São Paulo e é membro assistente do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês.

Um comentário:

conrado disse...

muito obrigado pela divulgação - Esta doença é muito subtratada e precisa cada vez mais de nossa atenção!!!